A guerra da Rússia na Ucrânia | Corredores humanos, luta feroz: aqui estão os últimos desenvolvimentos



  • Os refugiados estão saindo da Ucrânia.
  • A Rússia abriu corredores humanitários.
  • Nove pessoas foram mortas em Sumy.

Aqui estão os últimos desenvolvimentos na guerra da Rússia na Ucrânia:

Corredores humanitários redux

A Rússia refaz planos para abrir corredores humanitários, permitindo que os evacuados fujam das cidades sitiadas pelas forças de Moscou para a Rússia e a Bielorrússia.

Kiev chama a proposta de um golpe publicitário. A ONU diz que os evacuados devem ser autorizados a sair “na direção que escolherem”.

Tentativas anteriores de estabelecer corredores falharam.

AO VIVO | Rússia alerta sobre proibição de importação de petróleo, pois pouco progresso é feito nas negociações com a Ucrânia

Luta feroz em torno de Kiev

Militares ucranianos e moradores em fuga descrevem combates ferozes no extremo noroeste de Kiev, incluindo batalhas de rua e combate corpo a corpo, que em breve podem se espalhar para a capital sitiada.

Nove mortos em bombardeio em Sumy

Pelo menos nove pessoas, incluindo duas crianças, morreram em um ataque aéreo “inimigo” na cidade de Sumy, cerca de 350 quilômetros a leste de Kiev, disseram os serviços de resgate ucranianos.

General reportado morto

Militares da Ucrânia afirmam que o general russo Vitaly Gerasimov foi morto em combate perto de Kharkiv.

Descascado enquanto fugia

A Rússia intensifica o bombardeio de cidades, incluindo a cidade de Gostomel perto de Kiev, Kharkiv no leste, Sumy no nordeste, Chernihiv no norte e Mykolayiv no sudoeste.

Dezenas de milhares ainda estão presos sem água ou energia no porto de Mariupol, no sul, após duas tentativas fracassadas de evacuação.

Sucesso de padaria

Pelo menos 13 pessoas morreram em um bombardeio em uma padaria industrial em Makariv, cerca de 50 quilômetros a oeste de Kiev, disseram serviços de resgate ucranianos.

Forças russas desdobram

Quase todos os cerca de 150.000 soldados russos de combate na fronteira da Ucrânia já entraram no país, afirma o Pentágono.

Instalação nuclear bombardeada

A Agência Internacional de Energia Atômica recebe relatos de projéteis de artilharia danificando uma instalação de pesquisa nuclear na segunda cidade sitiada da Ucrânia, Kharkiv, mas diz que não houve “consequência radiológica”.

Aliados divididos em sanções energéticas

A Casa Branca indica que não há acordo com aliados europeus sobre uma proibição geral das importações de petróleo e gás.

Dinheiro do Banco Mundial para a Ucrânia

O Banco Mundial aprova um pacote adicional de US$ 489 milhões para a Ucrânia, a ser disponibilizado imediatamente.

Dívidas pagas em rublos

A Rússia diz que permitirá que empresas e indivíduos russos paguem dívidas a credores em nações “hostis”, incluindo EUA, UE, Grã-Bretanha, Canadá e Japão, na moeda nacional desgastada, o rublo.

Previsão de default russo

O Morgan Stanley, com sede nos EUA, diz que um calote russo é “o cenário mais provável”, prevendo que Moscou terá dificuldades para fazer pagamentos de cupons em seus títulos já no próximo mês.

Sem recrutas lutando: Putin

O presidente russo, Vladimir Putin, diz que não está enviando recrutas ou reservistas para lutar e que soldados “profissionais” que cumprem “objetivos fixos” estão liderando a guerra na Ucrânia.

‘Resultados’ nas negociações

O assessor presidencial de Kiev diz que uma terceira rodada de negociações entre a Ucrânia e a Rússia na fronteira Belarus-Polônia trouxe alguns “resultados positivos” na abertura de corredores humanitários.

No entanto, o principal negociador da Rússia, Vladimir Medinsky, diz que as expectativas de Moscou das negociações “não foram cumpridas”.

Turquia sediará negociações

A Turquia anuncia que receberá os ministros das Relações Exteriores da Rússia e da Ucrânia para conversas na quinta-feira.

Jogadores de futebol estrangeiros podem deixar a Rússia

Futebolistas e treinadores estrangeiros que trabalham na Rússia e na Ucrânia poderão suspender temporariamente seus contratos e se mudar para outro lugar, anuncia a FIFA.

Órgãos esportivos proibiram a Rússia de competições internacionais após a invasão da Ucrânia e a Fifa diz que as novas medidas foram projetadas “para facilitar a saída de jogadores e treinadores estrangeiros da Rússia” caso eles desejem sair.

1,7 milhão de refugiados

A ONU diz que 1,7 milhão de pessoas fugiram da Ucrânia, tornando-se a crise de refugiados que mais cresce desde a Segunda Guerra Mundial.


Queremos ouvir sua opinião sobre as notícias. Inscreva-se no News24 para fazer parte da conversa na seção de comentários deste artigo.



Source link

You May Also Like